A Experiência Somática é uma abordagem criada por Peter Levine, resultante do seu estudo sobre o stress fixo em padrões de mecanismos de defesa (luta, fuga, congelamento).  Observando mamíferos nos seus ambientes naturais, Levine percebeu que estes animais, apesar de passarem rotineiramente por situações de ameaça de vida por seus predadores, raramente  se tornam traumatizados, ou fixos num estado 'estressado', incapazes de voltar ao seu estado básico de equilíbrio ou de relaxamento saudável. Um coelho selvagem, por exemplo, apesar de passar normalmente pelo risco de ser pego e devorado por algum de seus predadores, consegue, se sobreviver, sempre voltar para um estado harmônico e saudável após o estresse com o perigo que passou, sem ter sintomas como insônia ou stress pós traumático. Por quê, então, o mesmo nem sempre acontece com seres humanos, que possuem afinal cérebros e mecanismos corporais de sobrevivência quase idênticos aos de animais mamíferos?

O ser humano ocidental parece ficar cada vez mais dissociado da sua parte animal, e assim do seu sistema de autorregulação, aquele que procura sempre trazer o organismo a um estado de equilíbrio. Apesar desse sistema de autorregulação ser inerente ao nosso organismo, a parte do cérebro pre-frontal ligada à cognição pode interromper esse processo, fixando o movimento, acumulando energia, evitando a descarga dessa energia. 

A técnica do S.E. (Somatic Experiencing®) não requer a pessoa com trauma que reconte o seu evento traumático, pois o trauma não fica em algo abstrato, num evento ou história mental passada, mas sim num processo de mecanismo de defesa fisiológico inacabado. O S.E. atua sobre o comportamento do sistema nervoso autônomo, utilizando a conscientização das sensações corporais relacionadas à situação traumática como ferramenta básica. O direcionamento do facilitador de S.E. para a percepção das sensações do corpo do cliente permite a expressão e liberação gradual e segura da hiperativação até então sustentada num lugar rígido ou esquecido na pessoa.

Para mais informação veja site www.traumatemcura.com.br